Formalismos no cinema

argel

 

Uma questão de travelling

Jacques Rivette, da cúpula Cahiers du Cinema, influente publicação de crítica cinematográfica francesa, chamou o cineasta romano Gillo Pontecorvo de formalista por causa de um travelling.

Vai ver é birra.

Pontecorvo lutou francamente contra o colonialismo francês na África. A questão argelina, ainda que esquecida, é uma página negra na história da França.

Ficou-se provado que um grupo de paraquedistas liderados por um certo Jacques Massu (fascista, segundo Jean-Paul Sartre), usaram de tortura para arrancar informações. Vide A Batalha de Argel (1965). Pensem o que pensarem: Gillo Pontecorvo não tem rival.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s